Fazer dieta para emagrecer funciona?

nao-consigo-emagrecerEm relação às dietas, há aquelas que apresentarão melhores resultados em algumas pessoas em detrimento de outras. A carga genética é um fator que influencia bastante no desempenho do metabolismo, portanto, é primeiramente importante a consulta à um profissional da saúde, como um nutricionista, para que ele possa identificar as peculiaridades bioquímicas de cada um, e assim prescrever a dieta que tenha máxima eficiência.

É correto afirmar que alguns alimentos funcionarão melhor para algumas pessoas, e também que determinados alimentos poderão desencadear processos inflamatórios, já outros poderão provocar alergias, e o consumo continuado desses alimentos, poderá prejudicar a queima de gordura.

Por que não consigo emagrecer?

É importante ressaltar que para que ocorra o emagrecimento, não basta que haja a mobilização de gordura, é necessário que essa gordura adentre as mitocôndrias para que ocorra a sua queima.

No caso do emagrecimento, as dificuldades em geral decorrem da falta de uma alimentação saudável e rica em nutrientes que promovam o bom funcionamento do organismo. Alguns tipos de alimentos levam à intoxicação do organismo, como os industrializados e processados, que podem não apresentar nutrientes em quantidades suficientes para que ocorra a queima de gorduras.

Deve-se evitar ao máximo o consumo de alimentos industrializados e processados, por causa da pobreza excessiva de nutrientes que esses produtos apresentam. Além disso, o consumo constante desses alimentos causa intoxicação gradual no organismo, cujo déficit de nutrientes provoca o bloqueio da betaoxidação, ou seja, da queima de gordura.

As alergias, por sua vez, em alguns casos não se manifestam de imediato, pois são na verdade o desfecho de um processo inflamatório, que é prejudicial ao organismo, dificulta o metabolismo e, consequentemente, a perda de gordura, mesmo quando se pratica alguma atividade física.

Substituição de alimentos industrializados e processados

Para que cada célula possa funcionar, dentre as mais de 100 trilhões que compõem o corpo humano, são necessários um mínimo de 45 tipos de nutrientes, daí a importância de uma alimentação variada. Devemos evitar a monotonia alimentar, como seguir tendências, por exemplo, consumir todos os dias um determinado alimento em moda. Esse novo consumo diário e invariável poderá gerar uma alergia devido ao organismo não estar acostumado a esse novo cardápio.

Assim, se a pessoa possuir algum processo inflamatório ou barreira intestinal, o alimento recém-adotado irá ser processado e absorvido pelo sistema digestivo e poderá causar rejeição por parte do sistema imunológico, acarretando um processo inflamatório.

Portanto, recomenda-se a alternância diária do consumo, mesmo no caso de alimentos saudáveis, por exemplo, variando os tipos de grãos no café da manhã, em um dia pode-se comer quinoa, já em outros, amaranto, aveia, suco verde, e assim por diante, variando também o tipo de clorofila, utilizando um dia a hortelã, no outro dia, couve, e assim por diante.

O café da manhã e lanche são geralmente as refeições nas quais mais se comem alimentos processados, embutidos e industrializados, como presunto, leite, queijo, peito de peru, dentre outros.

Pela manhã pode-se dar preferência a alimentos mais ricos em clorofila e proteínas de alto valor biológico. Ovos podem ser uma boa pedida, apesar de que algumas pessoas são alérgicas à clara do ovo, e deve-se respeitar a tolerância de cada pessoa aos alimentos. Outras alternativas são: quinoa, chia, sucos verdes, proteína do ovo e amaranto.

As frutas e proteínas também devem ser variadas, podendo-se consumir num dia um queijo de proteína magra, como ricota, nos outros, clara de ovo, proteínas vegetais, dentre outros, evitando-se o tradicional pão com queijo e presunto, além dos demais alimentos embutidos ou industrializados.

8 Dicas de alimentação saudável

  • Consuma alimentos variados.
  • Não consuma massas em excesso.
  • Melhore seu nível de estresse, haja vista que estar bem emocionalmente pode proporcionar a redução de processos inflamatórios.
  • Faça refeições em porções menores e intercaladas de 3 em 3 horas.
  • Dê preferência a carboidratos de baixo índice glicêmico, isto é, que contenham bastante fibra, como arroz integral ou macarrão integral, e alie a esses carboidratos alguma proteína.
  • Consuma de 3 a 4 frutas por dia.
  • Não consuma carboidratos em excesso pela noite, isso poderá acarretar aumento do percentual de gordura corporal e, consequentemente, dificultar o emagrecimento.
  • Na janta, pode-se repetir o cardápio do almoço, caprichando na salada, consumindo carne com proteína de qualidade, e novamente carboidratos de baixo índice glicêmico.